Arquivos
 04/06/2017 a 10/06/2017
 14/05/2017 a 20/05/2017
 01/01/2017 a 07/01/2017
 09/10/2016 a 15/10/2016
 07/08/2016 a 13/08/2016
 29/05/2016 a 04/06/2016
 23/08/2015 a 29/08/2015
 14/06/2015 a 20/06/2015
 10/05/2015 a 16/05/2015
 05/04/2015 a 11/04/2015
 08/03/2015 a 14/03/2015
 01/02/2015 a 07/02/2015
 14/12/2014 a 20/12/2014
 21/09/2014 a 27/09/2014
 14/09/2014 a 20/09/2014
 07/09/2014 a 13/09/2014
 17/08/2014 a 23/08/2014
 10/08/2014 a 16/08/2014
 13/07/2014 a 19/07/2014
 27/04/2014 a 03/05/2014
 16/02/2014 a 22/02/2014
 09/02/2014 a 15/02/2014
 05/01/2014 a 11/01/2014
 29/12/2013 a 04/01/2014
 15/12/2013 a 21/12/2013
 08/12/2013 a 14/12/2013
 18/08/2013 a 24/08/2013
 11/08/2013 a 17/08/2013
 04/08/2013 a 10/08/2013
 28/07/2013 a 03/08/2013
 21/07/2013 a 27/07/2013
 14/07/2013 a 20/07/2013
 30/06/2013 a 06/07/2013
 23/06/2013 a 29/06/2013
 16/06/2013 a 22/06/2013
 09/06/2013 a 15/06/2013
 26/05/2013 a 01/06/2013
 19/05/2013 a 25/05/2013
 07/04/2013 a 13/04/2013
 24/03/2013 a 30/03/2013
 17/03/2013 a 23/03/2013
 10/03/2013 a 16/03/2013
 03/03/2013 a 09/03/2013
 17/02/2013 a 23/02/2013
 03/02/2013 a 09/02/2013
 13/01/2013 a 19/01/2013
 06/01/2013 a 12/01/2013
 30/12/2012 a 05/01/2013
 16/12/2012 a 22/12/2012
 09/12/2012 a 15/12/2012
 02/12/2012 a 08/12/2012
 25/11/2012 a 01/12/2012
 18/11/2012 a 24/11/2012
 11/11/2012 a 17/11/2012
 04/11/2012 a 10/11/2012
 28/10/2012 a 03/11/2012
 14/10/2012 a 20/10/2012
 30/09/2012 a 06/10/2012
 16/09/2012 a 22/09/2012
 26/08/2012 a 01/09/2012
 12/08/2012 a 18/08/2012
 05/08/2012 a 11/08/2012
 22/07/2012 a 28/07/2012
 15/07/2012 a 21/07/2012
 08/07/2012 a 14/07/2012
 01/07/2012 a 07/07/2012
 24/06/2012 a 30/06/2012
 10/06/2012 a 16/06/2012
 03/06/2012 a 09/06/2012
 27/05/2012 a 02/06/2012
 20/05/2012 a 26/05/2012
 06/05/2012 a 12/05/2012
 15/04/2012 a 21/04/2012
 08/04/2012 a 14/04/2012
 01/04/2012 a 07/04/2012
 25/03/2012 a 31/03/2012
 18/03/2012 a 24/03/2012
 04/03/2012 a 10/03/2012
 26/02/2012 a 03/03/2012
 19/02/2012 a 25/02/2012
 12/02/2012 a 18/02/2012
 05/02/2012 a 11/02/2012
 15/01/2012 a 21/01/2012
 08/01/2012 a 14/01/2012
 01/01/2012 a 07/01/2012
 18/12/2011 a 24/12/2011
 27/11/2011 a 03/12/2011
 13/11/2011 a 19/11/2011
 30/10/2011 a 05/11/2011
 23/10/2011 a 29/10/2011
 16/10/2011 a 22/10/2011
 18/09/2011 a 24/09/2011
 31/07/2011 a 06/08/2011
 17/07/2011 a 23/07/2011
 26/06/2011 a 02/07/2011
 19/06/2011 a 25/06/2011
 05/06/2011 a 11/06/2011
 22/05/2011 a 28/05/2011
 15/05/2011 a 21/05/2011
 08/05/2011 a 14/05/2011
 24/04/2011 a 30/04/2011
 17/04/2011 a 23/04/2011
 10/04/2011 a 16/04/2011
 03/04/2011 a 09/04/2011
 20/03/2011 a 26/03/2011
 20/02/2011 a 26/02/2011
 06/02/2011 a 12/02/2011
 16/01/2011 a 22/01/2011
 09/01/2011 a 15/01/2011
 02/01/2011 a 08/01/2011
 26/12/2010 a 01/01/2011
 12/12/2010 a 18/12/2010
 05/12/2010 a 11/12/2010
 28/11/2010 a 04/12/2010
 21/11/2010 a 27/11/2010
 14/11/2010 a 20/11/2010
 07/11/2010 a 13/11/2010
 31/10/2010 a 06/11/2010
 24/10/2010 a 30/10/2010
 17/10/2010 a 23/10/2010
 10/10/2010 a 16/10/2010
 03/10/2010 a 09/10/2010
 26/09/2010 a 02/10/2010
 12/09/2010 a 18/09/2010
 22/08/2010 a 28/08/2010
 15/08/2010 a 21/08/2010
 08/08/2010 a 14/08/2010
 01/08/2010 a 07/08/2010
 25/07/2010 a 31/07/2010
 18/07/2010 a 24/07/2010
 11/07/2010 a 17/07/2010
 27/06/2010 a 03/07/2010
 13/06/2010 a 19/06/2010
 06/06/2010 a 12/06/2010
 30/05/2010 a 05/06/2010
 23/05/2010 a 29/05/2010
 16/05/2010 a 22/05/2010
 09/05/2010 a 15/05/2010
 02/05/2010 a 08/05/2010
 18/04/2010 a 24/04/2010
 04/04/2010 a 10/04/2010
 21/03/2010 a 27/03/2010
 14/03/2010 a 20/03/2010
 07/03/2010 a 13/03/2010
 28/02/2010 a 06/03/2010
 21/02/2010 a 27/02/2010
 14/02/2010 a 20/02/2010
 07/02/2010 a 13/02/2010
 31/01/2010 a 06/02/2010
 24/01/2010 a 30/01/2010
 20/12/2009 a 26/12/2009
 13/12/2009 a 19/12/2009
 06/12/2009 a 12/12/2009
 29/11/2009 a 05/12/2009
 22/11/2009 a 28/11/2009
 15/11/2009 a 21/11/2009
 08/11/2009 a 14/11/2009
 01/11/2009 a 07/11/2009
 25/10/2009 a 31/10/2009
 18/10/2009 a 24/10/2009
 11/10/2009 a 17/10/2009
 04/10/2009 a 10/10/2009
 27/09/2009 a 03/10/2009
 20/09/2009 a 26/09/2009
 13/09/2009 a 19/09/2009
 23/08/2009 a 29/08/2009
 16/08/2009 a 22/08/2009
 02/08/2009 a 08/08/2009
 05/07/2009 a 11/07/2009
 14/06/2009 a 20/06/2009
 07/06/2009 a 13/06/2009
 17/05/2009 a 23/05/2009
 03/05/2009 a 09/05/2009
 26/04/2009 a 02/05/2009
 19/04/2009 a 25/04/2009
 12/04/2009 a 18/04/2009
 05/04/2009 a 11/04/2009
 29/03/2009 a 04/04/2009
 15/03/2009 a 21/03/2009
 08/03/2009 a 14/03/2009
 01/03/2009 a 07/03/2009
 08/02/2009 a 14/02/2009
 01/02/2009 a 07/02/2009
 25/01/2009 a 31/01/2009
 18/01/2009 a 24/01/2009
 11/01/2009 a 17/01/2009
 04/01/2009 a 10/01/2009
 21/12/2008 a 27/12/2008
 14/12/2008 a 20/12/2008
 07/12/2008 a 13/12/2008
 23/11/2008 a 29/11/2008
 16/11/2008 a 22/11/2008
 09/11/2008 a 15/11/2008
 02/11/2008 a 08/11/2008
 26/10/2008 a 01/11/2008
 12/10/2008 a 18/10/2008
 05/10/2008 a 11/10/2008
 28/09/2008 a 04/10/2008
 21/09/2008 a 27/09/2008
 14/09/2008 a 20/09/2008
 07/09/2008 a 13/09/2008
 31/08/2008 a 06/09/2008
 17/08/2008 a 23/08/2008
 10/08/2008 a 16/08/2008
 03/08/2008 a 09/08/2008
 27/07/2008 a 02/08/2008
 20/07/2008 a 26/07/2008
 13/07/2008 a 19/07/2008
 06/07/2008 a 12/07/2008
 29/06/2008 a 05/07/2008
 22/06/2008 a 28/06/2008
 15/06/2008 a 21/06/2008
 08/06/2008 a 14/06/2008
 01/06/2008 a 07/06/2008
 27/04/2008 a 03/05/2008
 20/04/2008 a 26/04/2008
 06/04/2008 a 12/04/2008
 23/03/2008 a 29/03/2008
 16/03/2008 a 22/03/2008
 09/03/2008 a 15/03/2008
 02/03/2008 a 08/03/2008
 24/02/2008 a 01/03/2008
 17/02/2008 a 23/02/2008
 10/02/2008 a 16/02/2008
 27/01/2008 a 02/02/2008
 20/01/2008 a 26/01/2008
 13/01/2008 a 19/01/2008
 23/12/2007 a 29/12/2007
 16/12/2007 a 22/12/2007
 09/12/2007 a 15/12/2007
 02/12/2007 a 08/12/2007
 25/11/2007 a 01/12/2007
 18/11/2007 a 24/11/2007
 11/11/2007 a 17/11/2007
 04/11/2007 a 10/11/2007
 28/10/2007 a 03/11/2007
 14/10/2007 a 20/10/2007
 07/10/2007 a 13/10/2007
 30/09/2007 a 06/10/2007
 23/09/2007 a 29/09/2007
 09/09/2007 a 15/09/2007
 26/08/2007 a 01/09/2007
 19/08/2007 a 25/08/2007
 12/08/2007 a 18/08/2007
 05/08/2007 a 11/08/2007
 29/07/2007 a 04/08/2007
 22/07/2007 a 28/07/2007
 15/07/2007 a 21/07/2007
 01/07/2007 a 07/07/2007
 24/06/2007 a 30/06/2007
 17/06/2007 a 23/06/2007
 10/06/2007 a 16/06/2007
 03/06/2007 a 09/06/2007
 27/05/2007 a 02/06/2007
 20/05/2007 a 26/05/2007
 13/05/2007 a 19/05/2007
 29/04/2007 a 05/05/2007
 22/04/2007 a 28/04/2007
 15/04/2007 a 21/04/2007
 08/04/2007 a 14/04/2007
 11/03/2007 a 17/03/2007
 17/12/2006 a 23/12/2006

Votação
 Dê uma nota para meu blog

Outros links
 UOL - O melhor conteúdo
 BOL - E-mail grátis




Blog de nicomedesoliveira
 


03/04/2007
Pesaro: "Sou favorável ao fim dos albergues"

Foto de Fabiano Viana (Jornal "O Trecheiro")

São Paulo (SP) - No dia 30 de março foi realizada a 1ª Plenária "Falarua", organizada pelo Movimento Nacional em Luta pelos Direitos da População de Rua/ Comissão São Paulo e pelo Centro Franciscano de Reinserção Social.

A Plenária recebeu a contribuição de diversas autoridades e gestores públicos, como Floriano Pesaro (Secretário da Assistência e Desenvolvimento Social – SMADS), representantes do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS), do Conselho de Monitoramento da Política de Direitos das Pessoas em Situação de Rua, do Fórum da Assistência Social (FAS), do Conselho Municipal de Assistência Social (Comas), Fórum das Organizações que Trabalham com População de Rua, Ministério Público do Estado de São Paulo, pesquisadores científicos e vereadores.

O Objetivo do encontro foi debater as “portas de saída das ruas” a partir de políticas públicas para a população em situação de rua. Inicialmente, cada um dos integrantes fez uso da palavra para expor suas idéias sobre a saída das ruas. Posteriormente, a mesa de trabalhos, coordenada pelo gestor do Centro Franciscano de Reinserção Social, recebeu perguntas e debates de algumas das 450 pessoas em situação de rua presentes no local.

Os diálogos versaram sobre a condição dos albergues municipais, os problemas do atendimento à saúde da população em situação de rua e, principalmente a política agressiva de higienização levada a cabo por parte do poder público.

Indagado sobre as péssimas condições de vida em albergues municipais, o secretário Floriano Pesaro desabafou: “Eu sou favorável ao fim dos albergues”. Dessa maneira deixou clara a idéia de construir uma rede de serviços que gerem maior autonomia, não apenas a dependência institucional gerada por políticas assistencialistas.

As preocupações do MDS também se configuram no sentido de abranger diversas instâncias do poder público na resolução do complexo problema da situação de rua. Nestes termos, Dra. Valéria destacou o início das atividades do Grupo de Trabalho Interministerial de diagnóstico e elaboração de políticas públicas inclusivas para a população em situação de rua. Desta maneira, com integrantes dos ministérios da habitação, trabalho, educação, saúde e desenvolvimento social, além do Movimento Nacional da População de Rua (MNPR), o GTI surge como agente promissor na efetivação de portas de saídas para a situação de rua.

Julgou-se fundamental a participação da população em situação de rua organizada na elaboração de políticas públicas – a exemplo da própria Plenária Falarua. Neste sentido, integrantes do Fórum da Assistência Social (FAS) e do Conselho Municipal de Assistência Social (Comas) destacaram a importância destes espaços de controle social para receber esta contribuição de pessoas em situação de rua.

O clima esquentou com a presença de um inspetor da Guarda Civil Metropolitana de São Paulo. Diversos participantes aproveitaram a oportunidade para denunciar dezenas de episódios de agressão que envolvem a GCM, em casos corriqueiros de “limpeza urbana” à base de violência e furto de pertences de pessoas que pernoitam nas ruas. A presença da Dra. Jaqueline Martinelli, do Ministério Público do Estado de São Paulo, foi significativa para o compromisso público de investigar cada uma das denúncias, algumas das quais coletadas logo após o encerramento das atividades da mesa de trabalho.

Enfim, ao promover o diálogo aberto e fraterno entre movimentos sociais, gestores públicos, vereadores, pesquisadores e pessoas em situação de rua, o Centro Franciscano de Reinserção Social e o MNPR/SP contribuem para o aprimoramento de políticas públicas que efetivem os direitos sociais de nossos irmãos de rua. (Ricardo Mattos, especial para o Site Franciscanos)



Escrito por nicomedesoliveira às 22h13
[] [envie esta mensagem
]





Brastra.gif (4376 bytes)

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

DECRETO DE 25 DE OUTUBRO DE 2006.

Constitui Grupo de Trabalho Interministerial - GTI, com a finalidade de elaborar estudos e apresentar propostas de políticas públicas para a inclusão social da população em situação de rua, conforme disposto na Lei no 8.742, de 7 de dezembro de 1993, e dá outras providências. 

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art.84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,

DECRETA:

Art. 1o  Fica criado o Grupo de Trabalho Interministerial - GTI, com a finalidade de elaborar estudos e apresentar propostas de políticas públicas para a inclusão social da população em situação de rua, conforme disposto na Lei no 8.742, de 7 de dezembro de 1993.

Parágrafo único.  Os estudos e propostas de políticas públicas de que trata o caput devem primar pela ação intersetorial entre as políticas de assistência social, saúde, educação, habitação, trabalho e renda, cultura e garantia de direitos humanos.

Art. 2o  O GTI será composto por um representante, titular e suplente, de cada órgão a seguir indicado:

I - Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, que o coordenará;

II - Ministério da Saúde;

III - Ministério da Educação;

IV - Ministério das Cidades;

V - Ministério do Trabalho e Emprego;

VI - Ministério da Cultura;

VII - Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República;

Parágrafo único.  Os membros do GTI serão designados pelo Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, mediante indicação dos dirigentes máximos dos órgãos nele representados.

Art. 3o  Caberá ao GTI deliberar sobre a forma de condução de seus trabalhos.

Art. 4o  É facultado ao GTI convidar, em caráter eventual, técnicos, especialistas e representantes de outros órgãos governamentais, colegiados e de entidades da sociedade civil para contribuir nas discussões acerca de temas relacionados ao trabalho.

Art. 5o  O prazo para conclusão dos trabalhos do GTI é de sessenta dias, a contar da data de publicação deste Decreto, podendo ser prorrogado por mais trinta dias, mediante ato do Ministro de Estado do Desenvolvimento Social e Combate à Fome

Art. 6o  O Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome prestará apoio administrativo e técnico para a consecução dos trabalhos a serem realizados pelo GTI.

Art. 7o  A participação no GTI é considerada serviço público relevante, não remunerada.

Art. 8o  Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 25 de outubro de 2006; 185o da Independência e 118o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Patrus Ananias

Este texto não substitui o publicado



Escrito por nicomedesoliveira às 15h18
[] [envie esta mensagem
]





Diário dum Carroceiro

CAAC – Centro de Artes Alternativas e Cidadania

 

 

1º texto de teatro escrito por pessoa em situação de rua em circuito profissional

 

O CAAC – Centro de Artes Alternativas e Cidadania, ONG sem fins lucrativos, fundada em 2000, estréia em 07 de outubro de 2006 seu primeiro espetáculo profissional. 

 

Escrito por Tião Nicomedes, aluno do CAAC desde 2003, o monólogo teatral é dirigido por Iara Brasil.

 

A peça escrita por Tião Nicomedes, autor do texto que hoje vive na locação provisória (Projeto da prefeitura para a população de rua), é um monólogo que narra a odisséia de um carroceiro nas ruas do centro de São Paulo durante o período das festas de fim de ano, sua critica política a partir de seus próprios conflitos para a sobrevivência trazem ao publico o olhar da cidade por aqueles que não tem acesso aos bens da cidade.

 

O ator A. C. (Antonio Carlos Deniggro) que vem no

circuito alternativo representando textos de autores

como Mario Bortoloto a Ronaldo Ciambroni, atuou na Rede Record no programa Turma do Gueto e na Novela METARMOPHOSES,   na Rede TV em Vila Maluca.

A metodologia da direção de Iara Brasil que se engajou nesta proposta, traz ao espetáculo uma visão Brechtiniana fortalecendo o foco social e político das pessoas em situação de rua, tendo também como meta um resultado artístico que dê visibilidade à população de rua com dignidade. A equipe fez um trabalho de campo acompanhados por Max Um: foram em albergues, casas de convivência, se aproximando da realidade da exclusão social paulistana.

 

A idéia de montar um texto, de um novo autor com uma visão critica da cidade de São Paulo, além do compromisso com a causa na qual este projeto se estabelece, buscou a pesquisa sobre a “Voz da Dramaturgia Brasileira”, coordenada por Max Mu em mutirões habitacionais, aldeias indígenas, Quilombos e Movimento Sem Terra, visando trazer ao público obras onde a “Voz” das pessoas mais distantes dos mecanismos de produção cultural possam ser amplificada por produções profissionais e que tragam ao público a reflexão social.

 

O autor, Tião Nicomedes, já escreveu uma peça chamada “Bonifácil Preguiça” com um elenco de pessoas do albergue que o CAAC apoiou na supervisão de direção. Durante as oficinas que dava no Albergue Arsenal da Esperança, Tião também participou de duas outras montagens do CAAC em 2003 e 2004, e em 2005 deu oficinas de arte com sucata. Participou em diversos eventos com seus bonecos de mamulengo.

 

                O ESPETÁCULO NÃO PODE PARAR- DIARIO DUM CARROCEWIRO VOLTA EM AGOSTO DE 2007-PREPARE SEU CORAÇÃO.

Escrito por nicomedesoliveira às 15h15
[] [envie esta mensagem
]





Diário dum Carroceiro

CAAC – Centro de Artes Alternativas e Cidadania

 

 

1º texto de teatro escrito por pessoa em situação de rua em circuito profissional

 

O CAAC – Centro de Artes Alternativas e Cidadania, ONG sem fins lucrativos, fundada em 2000, estréia em 07 de outubro de 2006 seu primeiro espetáculo profissional. 

 

Escrito por Tião Nicomedes, aluno do CAAC desde 2003, o monólogo teatral é dirigido por Iara Brasil.

 

A peça escrita por Tião Nicomedes, autor do texto que hoje vive na locação provisória (Projeto da prefeitura para a população de rua), é um monólogo que narra a odisséia de um carroceiro nas ruas do centro de São Paulo durante o período das festas de fim de ano, sua critica política a partir de seus próprios conflitos para a sobrevivência trazem ao publico o olhar da cidade por aqueles que não tem acesso aos bens da cidade.

 

O ator A. C. (Antonio Carlos Deniggro) que vem no

circuito alternativo representando textos de autores

como Mario Bortoloto a Ronaldo Ciambroni, atuou na Rede Record no programa Turma do Gueto e na Novela METARMOPHOSES,   na Rede TV em Vila Maluca.

A metodologia da direção de Iara Brasil que se engajou nesta proposta, traz ao espetáculo uma visão Brechtiniana fortalecendo o foco social e político das pessoas em situação de rua, tendo também como meta um resultado artístico que dê visibilidade à população de rua com dignidade. A equipe fez um trabalho de campo acompanhados por Max Um: foram em albergues, casas de convivência, se aproximando da realidade da exclusão social paulistana.

 

A idéia de montar um texto, de um novo autor com uma visão critica da cidade de São Paulo, além do compromisso com a causa na qual este projeto se estabelece, buscou a pesquisa sobre a “Voz da Dramaturgia Brasileira”, coordenada por Max Mu em mutirões habitacionais, aldeias indígenas, Quilombos e Movimento Sem Terra, visando trazer ao público obras onde a “Voz” das pessoas mais distantes dos mecanismos de produção cultural possam ser amplificada por produções profissionais e que tragam ao público a reflexão social.

 

O autor, Tião Nicomedes, já escreveu uma peça chamada “Bonifácil Preguiça” com um elenco de pessoas do albergue que o CAAC apoiou na supervisão de direção. Durante as oficinas que dava no Albergue Arsenal da Esperança, Tião também participou de duas outras montagens do CAAC em 2003 e 2004, e em 2005 deu oficinas de arte com sucata. Participou em diversos eventos com seus bonecos de mamulengo.

 

                O ESPETÁCULO NÃO PODE PARAR- DIARIO DUM CARROCEWIRO VOLTA EM AGOSTO DE 2007-PREPARE SEU CORAÇÃO.

Escrito por nicomedesoliveira às 15h14
[] [envie esta mensagem
]





4 de Maio de 2007 - 11:44

Campeonato Futsal Solidário traz cidadania para a população de rua

Começa neste sábado o 3º Campeonato de Futsal Solidário da População em Situação de Rua, promovido pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) e pela Secretaria Municipal de Esportes, no ginásio do Pacaembu.


Semeando Cidadania X São Martinho de Lima; Estação Vivência II X Santo Dias. Estes “clássicos” do futebol de salão para a população de rua da Cidade darão início neste sábado (05/05), a partir das 9h, ao 3º Campeonato de Futsal Solidário da População em Situação de Rua, promovido pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social (Smads) e pela Secretaria Municipal de Esportes, no Ginásio do Pacaembu (Praça Charles Miller, s/nº, portão 23).

Com 32 equipes e mais de 480 jogadores inscritos, este é o maior campeonato de futsal da população de rua já organizado na Cidade de São Paulo.

Os jogadores são pessoas em situação de rua usuárias dos serviços da rede de proteção social da Smads. Esse batalhão de jogadores divide-se em oito grupos na primeira fase. O campeonato vai durar quase dois meses, com jogos neste fim de semana e nos próximos sete domingos de maio e junho, sempre a partir das 8h. A grande final será no dia 24 de junho. Todos os jogos serão no Ginásio do Pacaembu, com entrada franca.

O campeonato faz parte das ações do Projeto Ludi-Cidade, que leva arte, cultura, esporte, dentro do Programa São Paulo Protege, da Smads. Além de atividades esportivas, o Ludi-Cidade promove ações culturais e de lazer, como passeios e idas a cinema, parques, circos e shows, entre outras. Em quase dois anos de projeto, mais de 20 mil pessoas já participaram das atividades.

“Por meio do Ludi-Cidade, a Secretaria tem conseguido proporcionar momentos de lazer e integração entre crianças, adolescentes, jovens, adultos e idosos da nossa rede de proteção social. Muito mais do que diversão e atividade física, essas atividades ajudam a levantar a auto-estima dessas pessoas já tão vulneráveis e fazem com que elas se sintam reinseridas socialmente”, afirma o secretário municipal de Assistência e Desenvolvimento Social.

Entre os times inscritos no Campeonato, há uma equipe formada por pessoas em situação de rua que são vendedoras da revista Ocas; outra de agentes de Proteção Social da Central de Atendimento Permanente e de Emergência (Cape); e outra do Movimento Nacional da População de Rua – Fala Rua.

“Trata-se de uma iniciativa louvável a de trabalhar o esporte como ferramenta social. Com esse campeonato o sentimento de união estará avivado entre os participantes, de modo a fazer desse torneio uma grande celebração”, comenta o secretário municipal de Esportes.

Flávia Bonavigo, coordenadora do Ludi-Cidade, diz que os jogos serão apitados por árbitros profissionais da Federação Paulista de Futsal. “As regras do campeonato são as mesmas de um campeonato de futsal”, reitera Flávia. Cada equipe pôde inscrever 15 jogadores, entre titulares, reservas e suplentes. Serão premiadas as equipes classificadas nos três primeiros lugares, o melhor jogador, o melhor goleiro e o artilheiro da competição. As equipes vencedoras receberão troféus. Nas edições passadas do campeonato, as equipes vencedoras foram Associação Amigos da Rua (formada por usuários dos albergues Lygia Jardim e Cireneu), em 2005; e Albergue Boracea, em 2006.

No primeiro dia da competição, os jogadores terão um almoço oferecido pela Smads e feito pelo Grupo da Sopa, uma organização não-governamental do Jabaquara. Nos demais dias, o lanche será fornecido pela Secretaria.

As equipes serão conduzidas até o Pacaembu em ônibus cedidos pela Secretaria. Os ônibus partirão de pontos de encontro já estabelecidos entre os equipamentos. Durante o campeonato, o Ludi-Cidade promoverá visitas monitoradas ao estádio do Pacaembu. Setenta estagiários da Unicsul e da FMU trabalharão no evento.

As equipes participantes são dos Albergues Comunidade Metodista, São Francisco, Espaço Luz, Oficina Boracea, Casa do Migrante, Portal do Futuro, São Camilo II, São Martinho de Lima, Samaritanos, Esperança, Zancone, Porto Cidadão, Semeando Cidadania, Pousada Esperança, Santo Dias, Dom Orione, Estação Vivência (equipes I e II), Arsenal da Esperança (equipes I e II), Abecal (equipes I e II), Moradia Provisória/AMRMC, Moradia Provisória Condomínio AEB, Serviço Franciscano de Solidariedade (Sefras), Hotel Social São Francisco, Restaurante Comunitário Pena Forte Mendes, Cape, Abrigo São Francisco de Assis, Centro de Apoio Psico-Social (Caps), Revista Ocas e Movimento Nacional da População de Rua Fala Rua.



Escrito por nicomedesoliveira às 15h05
[] [envie esta mensagem
]





Notícias
Voltar   Home  




Confira o lançamento do livro de Sebastião Nicomedes, ex-morador de rua.

Leonardo Mattiuzzo
> function formatarData(pData,cdgIdioma) { cdgIdioma = 1; var dia = pData.substr(0,2); var mes = pData.substr(3,2); var ano = pData.substr(6,4); if(cdgIdioma==6) document.write(dia + '-an/' + mes + '/' + ano); else document.write(dia + '/' + mes + '/' + ano); } > formatarData('17/05/2007, 1'); 17/05/2007

São José dos Campos/SP — Nesta segunda-feira, 17 de maio, o telespectador acompanha no programa Sociedade Solidária, a repercussão de dois eventos: 10 anos do Centro do Voluntariado de São Paulo e o lançamento do livro de Sebastião Nicomedes, ex-morador de rua, hoje Conselheiro do COMAS (Conselho Municipal de Assistência Social).

No evento do Centro de Voluntariado, entrevistamos diversos participantes, a exemplo, a Diretora Maria Lúcia Meirelles Reis. "No começo vinham mais senhoras, pois a atividade voluntária era considerada uma ocupação para os que tinham tempo sobrando. Hoje, se vê que os voluntários são aqueles muito ocupados, mas que arranjam um tempo para o exercício de cidadania".

Fique por dentro da programação da Rede Mundial de Televisão pelo telefone: (11) 3358-6800 ou pelo site: www.redesociedadesolidaria.org.br. O programa Sociedade Solidária vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 17h e às 23h30.



Escrito por nicomedesoliveira às 14h42
[] [envie esta mensagem
]





Notícias
Voltar   Home  




Inclusão dos moradores de rua é destaque no Sociedade Solidária

Leonardo Mattiuzzo
> function formatarData(pData,cdgIdioma) { cdgIdioma = 1; var dia = pData.substr(0,2); var mes = pData.substr(3,2); var ano = pData.substr(6,4); if(cdgIdioma==6) document.write(dia + '-an/' + mes + '/' + ano); else document.write(dia + '/' + mes + '/' + ano); } > formatarData('21/05/2007, 1'); 21/05/2007

Foto: Keydisc Brasil
São José dos Campos/SP — Nesta segunda-feira, 21 de maio, o telespectador acompanha no programa Sociedade Solidária uma entrevista com o Representante do Movimento de Defesa das Pessoas de Rua e Conselheiro do COMAS - Conselho Municipal de Assistência Social, Sebastião Nicomedes.

Ele conta ao programa a sua experiência de vida, fala também sobre a inclusão dos moradores de rua.

O programa Sociedade Solidária vai ao ar de segunda a sexta-feira, às 17h e às 23h30. Outras informações ligue: (11) 3358-6800 ou (12) 3941-8803.



Escrito por nicomedesoliveira às 14h39
[] [envie esta mensagem
]





RESUMO DE NOTÍCIAS
28/4/2006
Agência Carta Maior
Prefeitura de SP acaba com frentes de trabalho e não explica
A partir de uma “mudança de foco” da administração municipal, ocorrida após a eleição de 2004, as políticas de reinserção social para moradores de rua e população em situação de “risco social” passam por cortes e retrocessos
 
Guilherme Jeronymo – Carta Maior



Noticiado no último dia 15 de abril, o término do programa Operação Trabalho reflete a maneira como a atual gestão municipal lida com a população de rua, os movimentos sociais ligados a ela e a opinião pública. A Secretaria Municipal de Trabalho (SMT) agora passará a focar programas de atendimento à população jovem, micro-crédito para pequenos comerciantes e produtores e intermediação de vagas para empresas privadas. Os programas de proteção social serão de responsabilidade da SMADS. Em nota conjunta com a SMT, as secretarias afirmaram tratar-se de uma forma mais efetiva de ação.

O programa foi criado em outubro de 2001, para gerar empregos temporários, em órgãos e secretarias da prefeitura, com contratos de três a nove meses. Márcio Pochmann, então secretário do trabalho, esclarece que o projeto foi pensado com o caráter de se integrar a uma política de ampla cobertura das necessidades da população da cidade. Para os atendidos, desempregados em média dois anos ou mais, o foco não eram as frentes de trabalho, mas os conhecimentos pessoais de cada um, através de treinamento teórico e prático em órgãos da prefeitura, empresas públicas e parceiros, com encaminhamento para o mercado. Atendendo 20 mil pessoas em três anos, 15% das quais moradores de rua ou albergados, o programa era para o ex-secretário “um ritual de passagem para reconstituir uma situação superior em que os participantes estavam anteriormente”.

. Há ao menos 10 mil pessoas em situação de rua na cidade, e o Operação Trabalho teve, até 2003, algo em torno de 158 mil inscritos.

Em relação ao término das frentes de trabalho anteriores, a informação do executivo é que se trata do fim natural do programa. Textos de um e-mail interno à coordenação do Projeto Calceteiros, uma das Frentes de Trabalho canceladas, ao qual esta reportagem teve acesso, indicam, porém, que as ações restritas ao treinamento das equipes de calceteiros, por exemplo, não estavam terminadas. “
O vereador Paulo Teixeira (PT) discorda do que fala a gestão municipal, e afirma que “ficaram sem receber inclusive os que já tinham trabalhado. É corte, e não mudança de foco. Estão abandonando todos os programas para a população de rua. É claro que a prefeitura tem um programa de exclusão social”.


Indagado sobre qual seria o encaminhamento das pessoas que estavam nas frentes de trabalho, o Secretário da Assistência Social, Floriano Pesaro, afirmou que o assunto era incumbência da pasta do Trabalho. Viana, da SMT, disse que o problema era da Assistência Social. Em nota conjunta, afirmaram que o final da operação antienchente, programa de frentes de trabalho que integra o Operação Trabalho, foi realizado na data prevista originalmente, e que o programa terá continuidade, tanto em ações perenes quanto, se oportunidades se colocarem, em ações emergenciais.

Procurada, a assessoria da SMADS não se pronunciou sobre o assunto. Declarou que “implantou o programa São Paulo Protege, cujo objetivo é o de desenvolver uma série de ações (...) destacam-se a reestruturação da rede com ampliação do número de vagas em albergues e abrigos especiais para proporcionar um acolhimento mais humano, ágil e transparente nos serviços e programas”. A pasta contou com um aumento de verbas de R$ 150 milhões de 2005 para 2006, destinados sobretudo a políticas assistencialistas, por intermédio de Organizações Sociais.

Em reação a postura e as declarações do titular da SMT, o vereador Paulo Teixeira oficiou, ao presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, a convocação do Secretário à Casa. O vereador José Américo (PT), que levou a questão ao plenário em 19 de abril, realizará um convite para esclarecimentos, através da Comissão de Administração Pública. O parlamentar qualifica a atitude como de “Insensibilidade social. Um mau início para o governo Kassab, e um passo errado do secretário. Espero que não seja o início de um processo de desarticulação de programas sociais na cidade”.

O conselheiro do Conselho Municipal de Assistência Social e ex-morador de rua, Sebastião Nicomedes de Oliveira, critica sobretudo o corte no programa, que desestruturou os envolvidos. Muitos não esperavam a interrupção neste momento, e contraíram dívidas, inclusive por causa do atraso em alguns pagamentos. “O secretário do trabalho tomou a decisão de encerrar as frentes sem conversar com os conselhos e os usuários, mudando de uma hora para outra os focos de sua política”, diz ele. “Fica do conselheiro a pergunta: quanto custa à prefeitura um morador de rua. Vale mais a pena manter um cidadão albergado do que dar-lhe um emprego e dignidade, com uma política de caridade?”.

Anderson Lopes, do Movimento Nacional da População de Rua, outro ex-albergado, foi mais taxativo: “Há clareza de que a ação política deste governo é higienizante. Não há política de valorização da população de rua”.
            seguimos no aguardo da volta do programa e também reinvindicamos locação social-PORTAS DE SAIDA.

Escrito por nicomedesoliveira às 14h32
[] [envie esta mensagem
]





YouTube - TURMA DO GUETO - Shaquila é resgatado do Presídio

Recentemente, o ator atuou na peça "Diário Dum Carroceiro ...
1minutos - Classificação 5,0 de 5,0
www.youtube.com/watch?v=07mJMZeGLV8
                tai o (antonio de niggro)ator que viveu tiao no teatro  fábrica em 2006

Escrito por nicomedesoliveira às 14h24
[] [envie esta mensagem
]





Excluídos defende participação da sociedade civil na política

Foto: Renato Papis do Regional Sul 1


Com o lema “Brasil: na força da indignação, sementes de transformação”, o 12º Grito dos Excluídos propõe democracia direta com a participação popular. O objetivo é estimular a realização de plebiscitos, referendos e assembléias populares para decidirem assuntos públicos e que dizem respeito ao destino da nação.

Em coletiva realizada no último dia 31 de agosto, na sede Regional Sul I da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil), o bispo dom Demétrio Valentini afirmou que é fundamental valorizar os processos eleitorais como instrumento para formar pessoas mais conscientes. Para avançar na prática democrática é necessário transparência na administração pública e abertura de canais de participação efetiva da sociedade.

O representante do Movimento de Defesa da População de Rua, Sebastião Nicomedes de Oliveira, lembrou que o ‘Grito’ é um momento em que a população excluída pode reivindicar direitos e leis. “É o clamor de um povo que não tem voz, nem vez.” De acordo com Oliveira, os moradores de rua exigem a criação de uma lei federal para que sejam bem-tratados e não expulsos das cidades.

As manifestações ocorrem em todo o Brasil há 12 anos. E desde 1999, o movimento da população excluída (sem acesso à moradia, saúde, educação e outros direitos previstos pela Constituição) também protesta em 23 países das Américas e Caribe. O coordenador do ‘Grito dos Excluídos Continental’, Luiz Bassegio, explicou que é importante a integração dos povos para consolidar a luta por “justiça, trabalho e vida”.

O movimento não apóia partidos políticos. Segundo dom Demétrio, nem em época de eleições, candidatos podem subir em palanques para discursar durante os protestos. O ‘Grito’ é um espaço de animação e articulação e luta para que a corrupção seja punida e para que o povo viva com dignidade. Por isso, procura demonstrar que se não houver mudança no modelo econômico, não haverá recursos para investimentos, nem espaço para desenvolvimento nacional.

As manifestações ocorrem no dia 7 de setembro em várias cidades brasileiras. O município de Aparecida, na região do Vale do Paraíba, recebe a maior concentração de pessoas. São movimentos populares, sindicatos, entidades e setores da sociedade civil organizada que não têm quem ouça seus gritos.


Secretaria Nacional do Grito dos Excluídos




Escrito por nicomedesoliveira às 14h14
[] [envie esta mensagem
]





     [  
Materiais recicláveis da administração pública irão para associações e cooperativas de catadores

language=javascript type=text/javascript> var win=null; function NewWindow(mypage,myname,w,h,scroll,pos){ if(pos=="random"){LeftPosition=(screen.width)?Math.floor(Math.random()*(screen.width-w)):100;TopPosition=(screen.height)?Math.floor(Math.random()*((screen.height-h)-75)):100;} if(pos=="center"){LeftPosition=(screen.width)?(screen.width-w)/2:100;TopPosition=(screen.height)?(screen.height-h)/2:100;} else if((pos!="center" && pos!="random") || pos==null){LeftPosition=0;TopPosition=20} settings='width='+w+',height='+h+',top='+TopPosition+',left='+LeftPosition+',scrollbars='+scroll+',location=no,directories=no,status=yes,menubar=no,toolbar=no,resizable=yes'; win=window.open(mypage,myname,settings);}
Recicláveis

A iniciativa tem o objetivo de promover a inclusão social de catadores de resíduos sólidos, levando-os a uma inserção mais...

» Ex-primeira-dama da França apóia DRS do Banco do Brasil no Ceará
» Fundação fortalece coleta seletiva e organização social de catadores de Blumenau (SC)
» Central para comercialização de recicláveis é lançada em Limeira (SP)
» II Encontro de Catadores da Baixada Fluminense
» Juntando os cacos

Crédito da foto: Bruno Spada/MDS



Legenda da foto: Catadores de materiais recicláveis durante a assinatura do decreto que institui a coleta seletiva em orgãos federais.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva assinou, quarta-feira (25/10), em Brasília, decreto que institui a separação de resíduos recicláveis em órgãos e entidades da administração pública e sua destinação para associações e cooperativas de catadores. De acordo com dados do Sistema de Patrimônio da União (SPU), os 3,9 mil prédios públicos federais, em todo o País, produzem anualmente 22 mil toneladas de resíduos propícios à reciclagem.

de contas e controle social", enfatizou.

A assinatura do decreto que institui a coleta seletiva nos órgãos públicos supre duas demandas crescentes da sociedade brasileira: a inclusão social por meio do trabalho e renda e o equilíbrio na exploração do meio ambiente. Para definir essas ações, o governo contou com a participação do Movimento Nacional dos Catadores de Materiais Recicláveis (MNCMR).

Criado em 2001, o Movimento já conta com 35 mil catadores cadastrados e reunidos em 330 grupos de cooperativas. A estimativa total do número de catadores no País varia entre 300 mil e 1 milhão de pessoas. O Brasil está entre os dez países com maior taxa de reciclagem de papel no mundo, com taxa superior a 45% ao ano, o que significa mais de 3,3 milhões de toneladas recuperadas.

Ao discursar na solenidade, o presidente da Associação dos Catadores de Papel, Papelão e Material Reciclável (Asmare), Luiz Henrique da Silva, considerou que essas ações formam "um marco de reconhecimento da nossa categoria e uma conquista de várias organizações" que atuam na área. Sebastião Nicomedes de Oliveira, do Movimento Nacional de Luta em Defesa dos Direitos da População de Rua, foi além e disse que a assistência social hoje não é mais caridade, mas uma política de direitos.

Durante a solenidade em Brasília ainda foi assinada a publicação de edital do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apoio financeiro a projetos de catadores de materiais recicláveis. Os recursos virão do Fundo Social que o banco forma com parte de seu lucro, por isso não há um valor exato de crédito neste primeiro momento, mas a expectativa é que os projetos que sejam selecionados contribuam para a meta do governo federal de geração de mais de 39 mil postos de trabalho para catadores.

Além do ministro Patrus Ananias, também participaram da solenidade no Palácio do Planalto os ministros Luiz Marinho (Trabalho e Emprego) e Marina Silva (Meio Ambiente) e o presidente do BNDES Demian Fiocca.


Fonte: Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome
Data: 30/10/2006


Escrito por nicomedesoliveira às 14h06
[] [envie esta mensagem
]






Brasil, sábado, 26 de maio de 2007

24 de MARÇo de 2006

governo lula

Encontro com Lula dá pontapé inicial para o projeto dos catadores



Presidente e Movimento Nacional dos Catadores começam a definir diretrizes para o início do projeto, que vai gerar 40 mil postos de trabalho e beneficiar mais de 170 mil pessoas.

Na quarta-feira (22/3), às 16h30, o Movimento Nacional dos Catadores (MNCR) esteve no Palácio do Planalto em um encontro com o Presidente Lula. Participaram também da reunião o Ministro das Cidades, Márcio Fortes, o Ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, o Ministro do Trabalho e Emprego, Luiz Marinho, o Ministro do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Patrus Ananias, o Ministro Luiz Dulci, chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República e o presidente da Fundação Banco do Brasil, Jacques Pena.

Entre os assuntos discutidos, destaque para o crédito solidário para habitação, o Bolsa Família, a federalização dos crimes contra a população de rua, a intervenção do Ministério da Justiça nesses crimes hediondos, a continuidade da parceria com o MDS para a capacitação de lideranças e o grande projeto dos catadores: a geração de 40 mil postos de trabalho e o benefício direto para mais de 170 mil pessoas.

Em quase duas horas de conversa, pesou o embasamento e o estudo de viabilidade dos projetos dos catadores. Para o crédito solidário para a habitação, será formada uma comissão de trabalho entre Ministério das Cidades e o Movimento Nacional de Catadores de Materiais Recicláveis. Será discutido um novo tipo de projeto, já que o crédito solidário é considerado burocrático e muitas vezes inviabiliza o processo para a compra da casa própria.

O Ministério da Justiça irá estudar a possibilidade de federalizar os crimes contra a população de rua. O Ministro Márcio Thomaz Bastos também tentará intervir nas investigações da morte da catadora Ceilma Souza Santos, assassinada brutalmente no dia 14 de fevereiro, no lixão da Estrutural, na cidade de Brasília. Os suspeitos do crime são atravessadores da região, que supostamente mantém ligações com a empresa responsável pela compra do material reciclável retirado do lixão.

Lula garantiu também a continuidade da parceria entre o MNCR e o MDS, no valor de R$ 3 milhões, que servirá para capacitar lideranças de catadores – no primeiro convênio, 1.350 catadores foram capacitados em todo o Brasil.

Em relação ao grande projeto de geração de postos de trabalho e renda para milhares de catadores, o Presidente indicou o Ministério do Trabalho e Emprego como o interlocutor principal no processo. Com a indicação do Movimento dos Catadores, a Fundação Banco do Brasil deverá ser parceira no projeto.

Nesta quinta-feira, dia 23, a partir das 9h, já começam as reuniões para a discussão dos montantes e as unidades de financiamento do projeto no Ministério do Trabalho e Emprego. O encontro será entre o Ministro Luiz Marinho e a equipe de articulação do Movimento Nacional de Catadores.

Participantes da Encontro com o Presidente por parte do Movimento Nacional dos Catadores e População de Rua


16 pessoas participaram do Encontro, dentre eles: Roberto Laureano Rocha – Liderança do Movimento dos Catadores em São Paulo; Luis Henrique da Silva - Liderança do Movimento dos Catadores em Minas Gerais; Severino Júnior – Representante do Movimento dos Catadores no Rio Grande do Norte; Sebastião Nicomedes de Oliveira – representante do Movimento Nacional da População de Rua e Antonio Bunchaft – economista e assessor técnico do Movimento dos Catadores.

Fonte: LZ Comunicação

noticia de 2006.


Escrito por nicomedesoliveira às 12h41
[] [envie esta mensagem
]





src="includes/browser.js" type=text/javascript> /*********************************************** * Jim's DHTML Menu v5.7- © Jim Salyer (jsalyer@REMOVETHISmchsi.com) * Visit Dynamic Drive: http://www.dynamicdrive.com for script and instructions * This notice must stay intact for use ***********************************************/ src="includes/ie55-build.js" type=text/javascript> src="config2_new.js" type=text/javascript> Sábado, 26 de maio de 2007
Maio de 2007
Programação de eventos
 
Revitalização
 

Construindo significados para o centro degradado das metrópoles

De que maneira a cultura pode ser utilizada para ressignificar territórios? Como utilizar práticas culturais para o desenvolvimento humano e social de regiões degradadas como o centro de São Paulo?

Georgia Nicolau*

O centro de uma cidade é, ou deveria ser, o lugar da democracia por excelência, local da prática da convivência com a diferença. Ocorre que vivemos em uma era na qual, cada vez mais, os indivíduos - ou aqueles que “podem”- confinam-se em bairros, condomínios e territórios onde apenas os seus semelhantes têm lugar. Qualquer tipo de diferença, marginalidade que seja, é prontamente eliminada por meio da distância "segura" promovida por seguranças particulares, câmeras de vigilância, ou até mesmo atos violentos.

De que maneira a cultura pode ser utilizada para modificar os territórios, resignificando-os? Como utilizar práticas culturais para o desenvolvimento humano e social de uma região como o centro de São Paulo? Na sexta-feira, 30, uma fria e caótica véspera de feriado, cerca de 30 pessoas estiveram no debate “Políticas de Cultura e Desenvolvimento Humano no centro de São Paulo”, promovido pelo Instituto Pólis para pensar essa e outras questões.

Participaram da conversa o urbanista do Instituto Pólis, Kazuo Nakano; Beatriz Kara José, também urbanista e autora do livro Políticas Culturais e Negócios Urbanos – A Instrumentalização da Cultura na Revitalização do Centro de São Paulo; Rodolfo Garcia Vázquez diretor teatral do Grupo Satyros; e Sebastião Nicomedes, ator, dramaturgo e integrante do Movimento Nacional da População em Situação de Rua. O mediador foi Altair Moreira , integrante do Fórum Intermunicipal de Cultura (FIC).

Ficou a cargo de Kazuo Nakano construir formulações a partir da fala de seus colegas. “Eu observei dimensões práticas da realidade sendo mostradas. E práticas criam sentidos e criam territórios.” Nakano questionou então seus companheiros, sobre quais maneiras a recriação de sentido pode resultar numa delimitação política de afirmação e resistência. "Quais possibilidades e dimensões de resistência a um processo de disputa por definir o sentido sócio-político do território do centro? Diante das forças que existem em disputa nesse território, é possível criar processos de resistências articulados com processos de criação?"



Cultura e desenvolvimento social na cidade possuem uma relação possível e necessária. A cidade-modelo está para ser construída. As práticas culturais estão a ser concluídas. O sentido está para ser recriado. As práticas culturais no centro podem ser utilizadas como formas de resistência ao processo de desumanização e higienização.

(*) 100Canais - jornalismo cultural independente


www.cartamaior.com.br


Escrito por nicomedesoliveira às 11h45
[] [envie esta mensagem
]





A DEMANDA POPULACIONAL DE RUA EM SÃO PAULO É GRANDE
            O NUMERO DE PESSOAS NO CENTRO TOMA NOSSA ATENÇÃO E APOIO
            MAIS ESSE CONTINGENTE CRESCE POR TODAS AS REGIÕES
            SEMPRE QUANDO ACONTECE UMA TRAGÉDIA
            FICAMOS TODOS INDGNADOS E NOS UNIMOS PARA PROTESTAR

            CHEGOU A HORA DE NOS UNIRMOS
            E APONTAR CAMINHOS DE SAÍDA
            ABRIR PORTAS,CRIAR PORTAS
            APRESENTAR O NOSSO PLANO PARA A REFORMA DA CIDADE
            PRIORIZANDO A INCLUSÃO DESSA POPULAÇÃO
            VISANDO CONTRATAÇÃO DE MÃO DE OBRA
            AQUISIÇÃO DE MORADIA
            ATENDIMENTO AOS COM SAÚDE COMPROMETIDA
            ESPECIALMENTE A SAÚDE MENTAL
            TRATAMENTOS A DEPENDENTES QUÍMICOS.

             BRIGAR POR DIREITO Á RUA
             NÃO É ,NUNCA FOI O NOSSO PROPÓSITO
             BRIGAMOS POR RESPEITO
             VALORIZAÇÃO DA VIDA HUMANA
             NOSSA LUTA É PARA QUE TODOS TENHAM
             VIDA DIGNA.

             VAMOS SEGURAR ESSE MOMENTO DE UNIDADE
             QUE VEIO PELA DOR E PELA INDIGNAÇÃO
              VAMOS FAZER PACTO DE UNIDADE CONSTANTE
              APRESENTEMOS UM PLANO EFICAZ
              QUE SEJA NOSSA PROPOSTA
              OU MELHOR
              NOSSA DETERMINAÇÃO PARA QUE O ESTADO
              CUMPRA O SEU PAPEL.
              O MINISTÉRIO PÚBLICO FAÇA CUMPRIR A LEI
              E QUE SEJA PAPEL DE TODOS NÓS
              TRANSFORMAR A CIDADE DE SÃO PAULO
    fonte-CMI


Escrito por nicomedesoliveira às 23h39
[] [envie esta mensagem
]





src="includes/browser.js" type=text/javascript> /*********************************************** * Jim's DHTML Menu v5.7- © Jim Salyer (jsalyer@REMOVETHISmchsi.com) * Visit Dynamic Drive: http://www.dynamicdrive.com for script and instructions * This notice must stay intact for use ***********************************************/ src="includes/ie55-build.js" type=text/javascript> src="config2_new.js" type=text/javascript> Quinta, 24 de maio de 2007
Maio de 2007
 
 
 
Revitalização
 

Construindo significados para o centro degradado das metrópoles

De que maneira a cultura pode ser utilizada para ressignificar territórios? Como utilizar práticas culturais para o desenvolvimento humano e social de regiões degradadas como o centro de São Paulo?

Georgia Nicolau*

O cda conversa o urbanista do Instituto Pólis, Kazuo Nakano; Beatriz Kara José, também urbanista e autora do livro Políticas Culturais e Negócios Urbanos – A Instrumentalização da Cultura na Revitalização do Centro de São Paulo; Rodolfo Garcia Vázquez diretor teatral do Grupo Satyros; e Sebastião Nicomedes, ator, dramaturgo e integrante do Movimento Nacional da População em Situação de Rua. O mediador foi Altair Moreira , integrante do Fórum Intermunicipal de Cultura (FIC).

A discussão na calçada

O ex-morador de rua Sebastião Nicomedes, o Tião, expôs como, através do estímulo do imaginário, ele e seus colegas conseguiram criar um canal de comunicação com outros moradores de rua, para discutir questões pessoais e coletivas.“Nós fazíamos nossos seminários [fóruns de população de rua] com mais adesão porque descobrimos os capoeiristas que têm no meio da população, músicos, gente que declama poesias. Com isso, criou-se a possibilidade de discutirmos coisas sérias de uma forma mais agradável, não tão agressiva, não tão deprimente como costumava ser.” A maneira de atrair as pessoas, diz Tião, era ir “com uma carroça equipada de som aos moradores de rua. Eu levava os bonecos e conseguíamos, com aquelas pessoas, senão discutir políticas, direitos, que a maioria nem tava mais sabendo o que era isso, mas levamos alegria, contar as histórias, lembrar quem são, de onde veio, sentir saudades, reconstruir vínculos. Com os bonecos eles conversavam, com a gente não.”

Tião denunciou ainda o crescente desaparecimento de artistas de rua do centro.“A GCM [Guarda Civil Metropolitana] conseguiu roubar o espetáculo, fazer um show melhor do que os artistas”. Tião acredita que o cerne do problema está no público das políticas culturais. “Cultura é pra quem tem, pra quem sabe, pra quem pode.” Ao priorizar espaços fechados , criam-se empecilhos para a troca e o acesso às várias dimensões das práticas culturais. “É reflexo do mundo inteiro, vale quem tem dinheiro, vale quem tem renda, vale quem gera lucro. Quem vai associar uma marca a um morador de rua?”

 

No dicionário, a palavra “resistir” possui vários significados. Entre eles está "não ceder, opor-se, recusar-se, sobreviver, durar, oferecer resistência”. Para Tião, recém-saído da rua, resistir é sobreviver, existir a despeito da experiência do desprezo e da perda total da condição humana. Já Rodolfo não gosta da palavra. Prefere outras, como impor, propor, atuar. Beatriz tem esperança de que a brecha aberta pelo fato de o capital privado não ter comprado a idéia de revalorização do centro possa ser aproveitada. Já Kazuo acredita que a resistência pode assumir um significado vivo, enquanto princípio de vida e criação de novas – e mais promissoras - formas de vida, através da viabilização de novas práticas sociais e existenciais.

Cultura e desenvolvimento social na cidade possuem uma relação possível e necessária. A cidade-modelo está para ser construída. As práticas culturais estão a ser concluídas. O sentido está para ser recriado. As práticas culturais no centro podem ser utilizadas como formas de resistência ao processo de desumanização e higienização



Escrito por nicomedesoliveira às 11h57
[] [envie esta mensagem
]



 
  [ Ver arquivos anteriores ]